ACP | Associação Comercial do Paraná

Marcos Domakoski é o novo presidente do Pró-Paraná

O desembargador Luís Renato Pedroso, na condição de decano do grupo de fundadores do Movimento Pró-Paraná idealizado pelo jornalista Francisco Cunha Pereira Filho, então diretor-presidente da Rede Paranaense de Comunicação (RPC), dirigiu a reunião mensal da diretoria e conselhos nessa quinta-feira (28), dando posse ao empresário Marcos Domakoski como presidente da instituição até o dia 31 de agosto próximo, data de encerramento do biênio 2013-2015.

Domakoski, ex-presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), em cujas dependências está localizada a sede do movimento e atual diretor de gestão empresarial da Companhia Paranaense de Energia (Copel), assumiu o cargo em função do pedido de renúncia do presidente Jonel Chede, tendo em vista problemas de ordem pessoal.

Prestigiado por vários integrantes e fundadores do movimento, o novo líder do Movimento Pró-Paraná foi saudado pelo presidente Antonio Miguel Espolador Neto, da ACP, que além das congratulações com o dirigente empresarial, anunciou as providências já tomadas no sentido da ampliação do espaço físico cedido pela entidade para o funcionamento do Pró-Paraná.

Domakoski citou algumas das principais causas defendidas pela instituição, lembrando os ex-presidentes Francisco Cunha Pereira Filho, Belmiro Valverde e Jonel Chede, “todos eles imbuídos de profundo senso de responsabilidade na luta pelo desenvolvimento do Paraná”, chamando a atenção para as campanhas em prol da implantação do Tribunal Regional Federal (TRF) e a correção das linhas do mar territorial, que possibilitará maior participação do estado nos ganhos obtidos com a exploração das reservas do pré-sal.

Dentre as causas imediatas que a instituição deverá propugnar, Domakoski citou as melhorias necessárias nos setores de infraestrutura e energia, devendo concentrar esforços específicos na discussão do projeto do metrô curitibano, para ele “um tema que para cada dois pareceres técnicos há três opiniões diferentes”.

Na conclusão, se referiu também à participação efetiva do Movimento Pró-Paraná na campanha bem-sucedida pela nomeação do jurista paranaense, Luiz Edson Fachin, para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).