ACP | Associação Comercial do Paraná

Rosto da Cidade recupera paisagem urbana com ajuda da ACP

Fortalecer a imagem do comércio local e de seus serviços e do centro da cidade como área urbanística e turística, são alguns dos objetivos do projeto Rosto da Cidade, da Prefeitura de Curitiba, com apoio da Associação Comercial do Paraná (ACP). Idealizado pelo prefeito Rafael Greca e desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), o projeto busca a recuperação de imóveis em uma área de 2 km² como intento de agregar valor e a preservar o patrimônio.

O Rosto da Cidade dará início, também, a um processo de despiche, de recuperação urbana e de reativação das antigas casas de cultura e turismo do centro da cidade. A área foco do projeto integra um polígono de quadras compreendido entre as ruas XV de Novembro, Mariano Torres, Conselheiro Araújo, Luiz Leão, João Gualberto, Inácio Lustosa, Benvindo Valente, Paulo Graeser Sobrinho, Emílio de Menezes, Visconde de Nácar e as vias transversais.

AÇÕES DE DESPICHE

A ACP entra no projeto como mobilizadora entre os comerciantes da área, visando maior engajamento na causa de deixar a cidade mais bonita e limpa. Um verniz impermeabilizante à prova de pichações foi aplicado no bondinho da Rua XV, e será também utilizado nos muros da área inicial demarcada, se houve adesão dos dos moradores e comerciantes.

O acordo, segundo Camilo Turmina, vice-presidente da ACP,  o projeto contempla uma série de esforços conjuntos. “A prefeitura paga a conta da compra dos vernizes, profissionais farão a aplicação dos produtos apenas nas casas e estabelecimentos que se comprometerem a repintar as fachadas, incentivando até a renovação das cores da cidade com isso. A prefeitura também se compromete a limpar as pichações caso elas ocorram novamente, coisa que não onerará nenhum dos lados por conta do verniz”.

De acordo com informações da prefeitura, o projeto Rosto da Cidade prevê a recuperação de uma área aproximada de 230 mil metros quadrados. O investimento estimado é de R$ 4,8 milhões, valor que envolve o custo do material, execução da pintura e reparos nas edificações públicas.

COMO FUNCIONA

Thiago Aoki, representante da Performance Tintas e fornecedor do verniz, explica como funciona o impermeabilizante que será aplicado nos monumentos e prédios históricos. “O produto é um impermeabilizante hidro e óleo repelente, que protege da ação do tempo e da fuligem, além de ser uma solução definitiva para pichação”, diz.

Aoki explica que após a aplicação do produto, ficará fácil limpar as depredações dos vândalos. “Não será necessário usar solventes para retirar a tinta do piche, com qualquer máquina hidro lavadora de pressão é possível remover facilmente a tinta. O impermeabilizante não afeta a qualidade da tinta aplicada na superfície”, afirma.

Segundo Thiago Aoki, o produto que está sendo usado aqui é o mesmo utilizado na conservação dos muros na Praça de São Pedro, no Vaticano.