ACP | Associação Comercial do Paraná

Seminário reúne interessados na discussão do eSocial

Novo sistema entrará em vigor somente no segundo semestre de 2015

Um seminário para discutir impactos do eSocial sobre empresas, especialmente no que diz respeito às relações trabalhistas e recursos humanos, foi realizado nessa quinta-feira (29) na sede da Associação Comercial do Paraná (ACP), em colaboração com o Conselho de Tributação e Finanças e do consórcio formado pela Imtep, Executiva Outsorcing e Régis Advocacia.

O vice-presidente Sinval Lobato Machado abriu o evento saudando os participantes que praticamente lotaram o auditório Carlos Alberto Pereira de Oliveira, chamando a atenção para a importância de conhecer as novas exigências que o governo demandará das empresas por meio dos Ministérios do Trabalho e Emprego, Previdência Social e Receita Federal, incluindo a Caixa Econômica Federal (CEF).

O eSocial, que somente deverá entrar em vigor no segundo semestre de 2015, atendendo a uma série de ponderações do setor empresarial e da Federação Nacional de Empresas de Serviços Contábeis (Fenacon), consiste num sistema online de envio obrigatório de informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais para um banco de dados único.

Todas as empresas envolvidas

Compulsório para todas as empresas, começando com as grandes e na fase seguinte atingindo todos os demais portes empresariais até microempreendedores individuais, o eSocial suscitou muitas dúvidas entre os empresários, que em pesquisa nacional responderam que 70% das companhias não estão preparadas para sua adoção.

Os expositores do novo sistema, Márcio de Barros, diretor da Executiva Outsorcing e Marino Rodilha, consultor em gestão empresarial, relações trabalhistas e recursos humanos, ocuparam grande parte do tempo para explanar a uma audiência formada por gerentes de relacionamento, analistas de recursos humanos e contabilistas, os inúmeros aspectos do sistema.

Marino lembrou que “todas as áreas da empresa serão envolvidas no atendimento das exigências do eSocial, devendo atuar como um verdadeiro time”. Ele recomendou também que a dilação do prazo para a aplicação do projeto “deve ser aproveitado por todos para a rápida adaptação das empresas”.

Bola autografada

Para tornar mais sugestiva a imagem futebolística, Márcio fez uma bola oficial da Copa do Mundo circular entre os presentes e antes da conclusão do evento pediu que cada participante a rubricasse “para que a mesma seja doada à ACP em homenagem à iniciativa da formação do primeiro time convocado a discutir o eSocial”.

O consultor Marino Rodilha lembrou que com a implantação do novo sistema o “fiscal não irá mais às empresas, mas as empresas serão obrigadas a ir ao fiscal”, referindo-se à transferência de dados fiscais e previdenciários por meio eletrônico ao governo. Márcio asseverou que o sistema veio para ficar, “porque o governo alocou R$ 40 bilhões para o eSocial no Orçamento de 2015”.

O seminário teve ainda a participação de José Aparecido dos Santos, juiz federal do Trabalho e presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho da 9ª Região; Rodrigo Fortunato Goulart, coordenador da Câmara de Direito do Trabalho do Conselho de Tributação e Finanças da ACP; Luciano Coelho, juiz do TRT/9ª Região; Luiz Fernando Favaro Busnardo, superintendente regional substituto do Ministério do Trabalho e Emprego e dos advogados João Carlos Régis e Marcus Vinicius Cardoso da Silva.